Pelo direito de poder se defender

11753274_1682840601946896_4912209607367997666_n

Os números mostram de uma forma clara: o Brasil não é capaz de proteger a população de bem daqueles que fizeram a opção pelo crime. Nunca se assassinou, roubou, furtou, sequestrou e estuprou tanto como atualmente no Brasil. Resta portanto que cada um veja os meios para proteger a si, a sua família, a sua propriedade e a terceiros, quando for o caso, pois se esperarmos pelas polícias…

Mas como defender-se desarmado? Deve-se passar a vida dentro de um apartamento ou de uma casa, privando-se de experimentar tudo que pode ser visto e sentido no mundo fora da proteção (relativa) das grades e dos portões? O cidadão de bem deve ter o direito de escolher poder defender-se ou não e saber das consequências e riscos das suas próprias decisões neste sentido.

A mídia insiste em que ninguém reaja diante de uma situação de violência. Óbvio: desarmado ninguém deve reagir, pois uma situação ruim pode se transformar em uma pior… E este contexto imposto ao brasileiro de não reagir e de não poder ter armas acabou por ser, por mais incrível que pareça, o principal fator da explosão de violência que hoje vivemos, pois ser criminoso tornou-se um negócio excelente: as vítimas não reagem e não andam armadas! Além disso, se pegos os bandidos, as leis são “um doce de coco” de tão brandas. E este contexto faz crescer cada vez mais rápido a espiral da violência no país.

O povo brasileiro não se deu conta, mas foi traído pelo governo, pois de forma arbitrária este ignorou o resultado do referendo de 2005. Naquele referendo o povo deixou claro que queria a comercialização de armas de fogo. Mesmo assim, através dos votos “comprados” da época do “mensalão”, o governo aprovou e promulgou o aparentemente pacifista Estatuto do Desarmamento. O povo foi traído por seus governantes e representantes. Resultado: a explosão da violência no Brasil, pois o bandido ataca e tem certeza que ninguém vai reagir pois está desarmado.

Estamos no país que é a “Meca” mundial da demagogia e do bisonho modo “politicamente correto” de agir. Estamos no país em que bandido tem mais direito que cidadão de bem. Menores de idade podem delinquir à vontade, pois ficam impunes. Direitos humanos são para marginais, e policiais considerados os principais culpados nos casos de homicídios. MUDA BRASIL!

Ricardo Gadret

Prefeito de Quaraí

Artigo publicado na revista Em Evidência, nº 57 de 2017.