Tatiane Frizzo cobra ampliação dos atendimentos em Fisioterapia em Caxias do Sul

Vereadora protocolou duas indicações à Prefeitura na manhã de quarta-feira (31) | Foto: Vagner Benites, divulgação.
Vereadora protocolou duas indicações à Prefeitura na manhã de quarta-feira (31) | Foto: Vagner Benites, divulgação.

O aumento no número de atendimentos em fisioterapia nos serviços públicos de saúde do Município e a inclusão de profissionais fisioterapeutas no Ambulatório de Doenças Respiratórias do Adulto e em Pediatria foram abordados pela vereadora Tatiane Frizzo (Solidariedade) em sua fala na manhã desta quarta-feira (31) na tribuna da Câmara Municipal de Caxias do Sul.

A parlamentar apresentou à população dados encaminhados pela Prefeitura Municipal em resposta ao seu pedido de informações, aprovado no plenário da Casa no dia 13 de junho. O requerimento continha 12 perguntas e questionava sobre os atendimentos em fisioterapia na rede pública municipal. Dados sobre o número mensal de atendimentos, número de Unidades Básicas de Saúde (UBSs) que contam com o serviço e a fila de espera também estavam entre os pedidos.

De acordo com as respostas, hoje o Município conta com 4 fisioterapeutas concursados em serviço no Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), abrangendo a área de 13 UBSs, o que representa apenas 1/3 da cidade. Além disso, as informações demonstram que o Município tem hoje 4 clínicas terceirizadas contratadas para a oferta de atendimentos em fisioterapia e realizou 126 atendimentos domiciliares (em que o serviço é prestado na casa do paciente) entre janeiro e o início de junho, uma média de 10 atendimentos por paciente.

Os dados sobre o número total de atendimentos oferecidos pelo Município e a fila de espera não foram encaminhados, porém relatos de pacientes apontam para uma demora de até um ano em alguns casos. Em sua fala na tribuna, a vereadora reforçou a importância do investimento em fisioterapia e nas equipes multidisciplinares de saúde, que contam com profissionais como enfermeiros, fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais, como forma de economizar recursos públicos.

“A Fisioterapia tem um impacto muito grande na qualidade de vida das pessoas e esse atendimento na rede pública deve se dar por meio das equipes multidisciplinares de saúde. Garantir a presença do fisioterapeuta na Unidades Básicas de Saúde é fundamental para este ganho de qualidade”, afirmou Tatiane.

Estimativa da Comissão de Políticas Públicas do Conselho Regional de Fisioterapia da 5ª região (Crefito5), mostra que o trabalho do fisioterapeuta pode reduzir em cerca 50% o custo do tratamento de um paciente. O dado leva em conta o menor tempo para recuperação de pacientes, a prevenção de problemas de saúde e redução no custo com consultas, exames, medicamentos, entre outras coisas.

INDICAÇÕES

Após a apresentação na tribuna da Câmara Municipal, e acompanhada das representantes do Diretório Acadêmico de Fisioterapia da Faculdade da Serra Gaúcha (FSG), Greice Dallegrave, Bruna Cavalli e Kamilly Noronha, a vereadora protocolou duas indicações ao Poder Executivo. Entre os pedidos está o aumento no número de atendimentos em fisioterapia no Município, preferencialmente por meio do NASF, e a presença de  fisioterapeutas no serviço do Ambulatório de Doenças Respiratórias do Adulto e em Pediatria.